IndieVisível,Podcast IndieVisível

Podcast IndieVisível #22 – Hype

8 jan , 2019  

Saudações a todas e todos!

O Hype está no ar! No primeiro podcast de 2019, os indies se reúnem para conversar sobre esse “clima” (que é quase uma instituição) nomeado hype. Por que alguns jogos são tão falados antes mesmo de sabermos sobre eles? O Hype beneficia os jogos ou prejudica? Faz sentido mesmo termos tantos exageros durante a fase de lançamento de jogos tão cotados? Escute nossa conversa e saiba das nossas opiniões. Não esqueça de compartilhar as suas conosco também!

Nessa discussão participam os Indies: Amanda Sant’Anna, Bruno Mosconi, Cícero Liberato e Rafinha Martinelli.

Você pode baixar esse episódio clicando aqui.

O tema de abertura do podcast foi composto pelo grande Linas Janiques.

Curtiu o papo? Diga pra nós qual a sua opinião sobre o tema.

Compartilhe em suas redes:

, , , , , , , , , , , ,


4 Responses

  1. Roberto Struan disse:

    Meus queridos, ouvi esse podcast sobre Hype e…

    Vocês sabem o que é Hype? Eu mesmo não sabia ao certo. Andei pesquisando sua definição na internet… não achei nenhuma que considerasse consistente, portanto resolvi criar minha própria definição que é: “HYPE É QUANDO UMA OU UM GRUPO DE PESSOAS SE APAIXONA PELO CONCEITO OU CONCEPÇÃO DE UM PRODUTO A SER LANÇADO.”

    … ou seja, é apresentado um vídeo de um novo jogo, um teaser, imagens, seja lá o que for. O material divulgado apaixona uma serie de pessoas e, quando entra a paixão no meio…

    Paixão não é sinônimo de razão. O apaixonado costuma ser irracional. No ápice da paixão, tem dificuldades de enxergar os defeitos do agente da paixão e, se os identifica, releva.

    Se vocês analisarem o Hype como sendo uma modalidade de paixão, imagino que, ao refletirem sobre o assunto, chegaram a novas reflexões. Fiquem na paz!

    • Opa Roberto, beleza?
      Então, eu acho que ninguém tem a definição exata do hype! Haha
      Mas sabemos “o que é” esse movimento. E achei a sua definição bem massa! Mas vou além: mesmo após o produto ser lançado, também continua esse hype. Vide os filmes/séries da Netflix que geram muita expectativa. O hype é um puta movimento destrutivo, na real. Porque parece que uma vez que você faz parte do hype, só dá pra AMAR MUITO ou ODIAR ATÉ A MORTE, não existe um equilíbrio, é bizarro.

      Mas ó, concordo super com a parte da paixão. Nesse sentido, o apaixonado fica INCAPAZ de ser construtivo. Falando dos jogos, isso é mega ruim, porque continuam vendendo produtos nem tão incríveis assim como se fossem a coisa mais maravilhosa do mundo rs

      Valeu pela participação! 🙂
      Sinta-se à vontade pra aparecer mais vezes, é sempre bom ouvir mais opiniões.

      Grande abraço,

  2. Vinicius Diello disse:

    Bom, eu ouvi o podcast todo já e penso que sou uma das pessoas que mais é imune ao Hype que eu conheço (sem exageros).

    Eu simplesmente não tenho paciência de ficar assistindo trailers e coisas do gênero, então quase sempre que eu pego um jogo eu pego no escuro. A minha maior curadoria, digamos assim, são os próprios podcasts que ouço. É claro que dessa forma, eu acabo não estando tão bem informado quanto vcs, ou mesmo quase nunca jogo nada no lançamento. Mas creio que dessa forma eu vou jogando as coisas no meu tempo e tals.

    Não sei se foi um comentário muito produtivo, mas enfim, queria deixar mais uma vez minha participação.

    Forte abraço a tod@s do cast!

    • Pô, mas até em podcast tem uns hypes né. Aqui no Indie mesmo, todos nós já mergulhamos totalmente no Hype do Cyberpunk. Pode ser que seja uma merda? É CLARO QUE NÃO hahah

      Mas falando sério, é difícil fugir totalmente do hype. Quanto mais inserido você fica no meio de qualquer mídia, mais tendem a ficar jogando o hype pra cima de ti, pro bem ou pro mal. O ano mal começou e já tem um hype imenso do Resident Evil 2 (que na minha opinião, é mega plausível). Já faz parte da indústria.

      Acho que o melhor esquema mesmo é sempre tentar ponderar sobre tudo isso. Ver o hype, analisar o que as pessoas falam, e na hora de experimentar a mídia em si, ao invés de já ir com as expectativas que criaram em você, tu usar o hype como ponto de análise crítica. Se falaram que o jogo tem um bom roteiro, tu joga prestando 3x mais atenção no roteiro pra ver se é tão sensacional quanto dizem.

      Pelo menos é o jeito que >eu< encaro. Valeu mais uma vez por participar da discussão! Abração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Escute nossos últimos podcasts: